por Renata Lea

A caravana EraTransmidia passou por Salvador para a segunda etapa na Bahia. Depois de Ilhéus, o Fórum Transmídia tomou o rumo da capital. Foram mais três dias ao lado de profissionais da soterópolis, reunidos com o apoio do Sebrae.

Sair do eixo Rio-São Paulo costuma despertar novos olhares. Encontramos em Salvador um grupo pessoas ávidas para concretizar projetos dos mais diversos tipos. O destaque fica por conta de ficções e histórias em que a cultura local se revela. Mas obras de fantasia, cotidiano e documentários também estão na pauta dos realizadores locais.

Uma das surpresas que encontramos aqui foi a TV Kirimurê, primeiro canal da cidadania a entrar no ar no Brasil. Há tempos, um grupo de profissionais se dedica a essa conquista, concretizada há alguns meses com a liberação da concessão. O lançamento será no dia 20 de novembro e trará novas perspectivas de distribuição para o mercado baiano. Vamos acompanhar e contar mais depois.

O palco do Fórum Transmídia de Salvador foi o IRDEB (Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia). No primeiro dia do evento, a casa estava cheia. Começamos com uma espécie de warm up, contando o case do Sherlock IoT. Em seguida, a plateia assumiu o desafio de descobrir o assassino da nossa trama. A empolgação foi tanta que uma nova história se desenhou – momento de co-criação daqueles que a Era curte.

A tarde foi dedicada à introdução ao tema transmídia. Tivemos uma palestra e uma oficina sobre bíblia transmídia, que lotou a sala. Embora a maioria dos participantes estivesse tendo o primeiro contato com a elaboração de uma bíblia, o resultado final foi excelente. Os cinco grupos aplicaram os conceitos apresentados a ideias pré-elaborados e mostraram que a vocação para transmídia faz parte do nosso tempo.

A empolgação continuou no segundo dia de evento, que foi aberto com uma oficina de storytelling. De novo, a demanda foi maior que a quantidade de cadeiras! Na parte da tarde, duas palestras mostraram como a tecnologia vem ampliando as maneiras de contar histórias. Falamos de narrativas imersivas e de programatic storytelling, temas que acenderam o debate.

Encerrando nossos dias em Salvador, mais uma manhã de oficina e uma tarde de palestras. A primeira atividade mesclou parte do conteúdo discutido nos dias anteriores. O resultado foi tão positivo que invadimos o horário do almoço – a criatividade dos participantes a mil.

O intervalo foi breve, mas retomamos com muita disposição. Em pauta, possibilidades que podem trazer inovação para o que já fazemos há tempos. Primeiro, falamos de uma série de questões que podem melhorar o desempenho de um filme. O pessoal aprendeu sobre um novo jeito de escrever um roteiro, em que os conceitos do eneagrama servem como base. Com case de “O último cine drive-in”, falamos de como o local de exibição pode impulsionar a bilheteria. Por fim, fechamos o evento expondo várias tecnologias citadas anteriormente, como big data, IoT etc.

Esses dias se traduzem em uma experiência riquíssima para a EraTransmidia, como expressa o presidente da Associação, Rodrigo Arnaut: “Foi um marco na história da EraTransmidia realizar o IV Fórum Transmidia em Salvador, durante a TransmediaWeek, onde mais de 20 membros se envolveram na organização, curadoria e divulgação, mostrando a força consistente de nossa rede! Tivemos a chance, com o apoio do SEBRAE Salvador e Ilhéus, de compartilhar as mais diversas experiências e conhecimentos de áreas da economia criativa com os profissionais e pesquisadores da Bahia, um pólo cultural pioneiro e de extrema importância do nosso país”

Lá se foram nossos dias na soterópolis, mas ficou a inspiração e a admiração por realizadores ávidos por levar grandes ideias adiante. Um solo fértil para a transmídia e pessoas que queremos ter por perto, com certeza.