Maior evento de creators, social vídeo e influência do Brasil

Pela primeira vez no Unibes Cultural em São Paulo (11/09), o YOUPIX SUMMIT foi o ponto de encontro dos maiores nomes do mercado de influência do Brasil, cujo tema central foi a saúde mental em referência ao movimento nacional, Setembro Amarelo, uma campanha que aborda a conscientização sobre a prevenção do suicídio. Um dos problemas que mais preocupam criadores de conteúdo e profissionais deste mercado.

O assunto debatido entre os mais de 50 painéis, divididos em 4 palcos de conteúdo, um lounge exclusivo para creators e um espaço coberto para feira de negócios e network gerou um público aproximado de 1.500 pessoas, inclusive o espaço do Unibes ficou pequeno para tanta gente gerando uma demora considerável na entrada do evento que só contava com uma única porta de acesso. Apesar da logística de acesso ao evento, a programação de palestras estava impecavelmente interessante e com diversas temáticas.

Abrindo a programação inicial a apresentadora, atriz e influenciadora digital Maísa, que atualmente tem um programa no SBT e possui uma legião de 26 milhões de seguidores no Instagram entrevistou o diretor geral de canais e conteúdo da Globosat , Paulo Daudt Marinho responsável pela criação da VIU Hub em um papo sobre o futuro do entretenimento brasileiro.

Durante a entrevista pra lá de descontraída, Maísa pergunta a Paulo se a TV se rendeu a internet e segundo ele, atualmente cada vez mais, principalmente na distribuição de conteúdos para diversas plataformas de mídia. Para o diretor, essa transição da TV para internet o fez querer aprender mais e mais sobre programação de conteúdo colocando em primeiro lugar as preferências da audiência. Maísa também expôs seu aprendizado no digital que se segundo ela, se deu graças a sua experiência na TV e seu mestre Silvio Santos, embora sua abordagem seja diferente para cada mídia onde ela conversa de acordo com cada grupo de sua audiência.

Ambos ressaltaram a importância do conteúdo multiplataforma para o engajamento da audiência e na abertura de espaço que as plataformas abertas como, por exemplo, o YouTube e plataformas fechadas, como Globosat e Netflix dão para creators e demais produtores de conteúdos dando inclusive, representatividade às produções nacionais em plataformas de streaming. Paulo reforça que o “mantra” do momento é descobrir como se conectar com o consumidor de conteúdo e que para inovar em conteúdo é importante acompanhar o mercado, observar os concorrentes nacionais e internacionais, bem como manter o diálogo entre os comunicadores nacionais. Nesse momento da entrevista, Maísa pediu que Paulo desse ao menos três exemplos de séries que ele consumia de seus concorrentes. Em meio a risadas, o diretor revelou que consome sim produções da concorrência como: Game Of Thrones da HBO, Casa de Papel da Netflix e Aruanas da Globo Play assim como Maísa, que acompanha inúmeras séries internacionais dentre elas, Big Litle Lies também da HBO.

Paulo Marinho e Maísa
Foto: YOUPIX

O evento, ainda contou com a palestrante especial trazida pela plataforma sueca de áudios Storytel, a a Monja Coen considerada a Monja mais conectada do país que estreia seu podcast na plataforma em outubro deste ano.

Foto Divulgação: YOUPIX

Para nós é uma realização reunir tantos nomes importantes e parceiros no YOUPIX SUMMIT. Essa edição consolida o evento como o principal ponto de encontro para o mercado de influenciadores do Brasil.”, celebra Bia Granja, co-fundadora da YOUPIX. “Temos certeza que todos os participantes sairão do SUMMIT com um aprendizado incrível e que o conteúdo irá somar muito no dia a dia de trabalho de cada um.”, completa a executiva.

Focando em conteúdo para influenciadores e creators, uma pesquisa apresentada por Rafael Coca, sócio-fundador da Spark no painel “O post é pago. E daí?” aponta que 76% dos internautas já compraram produtos ou usaram serviços recomendados por influenciadores. O estudo realizado com 1.100 internautas, com 15 anos ou mais, de todas as classes sociais e regiões do Brasil e promovido pelo Instituto Qualibest, pioneiro na realização de pesquisa digital no Brasil, em parceria com a Spark, referência em marketing de influência, apontou que ao menos 76% dos internautas brasileiros já consumiram produtos ou serviços após a indicação de influenciadores digitais. Esse número aumenta para 82% entre as pessoas que prestam atenção nas publicações pagas.

Foto: Jaqueline Oliveira

Os números também desmistificam o sentimento de desconfiança dos internautas em relação ao trabalho dos influenciadores digitais: os seguidores, de fato, os enxergam como disseminadores de conteúdo relevante. “Era comum um creator fazer um post patrocinado e não divulgar que foi pago para promover determinado produto por receio de o post não ter engajamento. Hoje, a sinalização de que a postagem é um publi reforça a transparência do conteúdo”, explica Coca.

Foto: Jaqueline Oliveira

O estudo mostrou ainda, que a maior parte dos internautas sabe como identificar os posts patrocinados, e consideram importante essa identificação. O reconhecimento de que o conteúdo é publicidade paga praticamente não diminui a interação ou o engajamento. “Os posts patrocinados não prejudicam a confiança no influenciador ou na marca, desde que a comunicação preserve o sentimento de autenticidade e liberdade do Influenciador, ele tem que ser autêntico”, completa Daniela Malouf, do Instituto QualiBest.

Foto: Jaqueline Oliveira

Dentre as redes mais utilizada pelos consumidores de conteúdo, o Intagram é a preferida. O levantamento apontou, ainda, que as redes mais usadas para seguir influenciadores são: Instagram (81%), Youtube (81%) e, em um segundo patamar, Facebook (49%). No que diz respeito ao Instagram, o estudo revela, também, que 41% dos internautas assistem os stories com o áudio desligado e admitem que só ativam o volume se o conteúdo for relevante. Além disso, apesar das mudanças realizadas recentemente pela rede social em relação à ocultação do número de likes, 42% deles não alterou a forma como interage no aplicativo.

Foto: Jaqueline Oliveira

A pesquisa foi realizada entre os dias 6 e 9 de agosto de 2019 com 1.100 pessoas de todos os gêneros e classes sociais, e com abrangência nacional. O perfil dos entrevistados incluía o acesso ao mínimo duas redes sociais, e seguidores de influenciadores digitais. A previsão é que a pesquisa na íntegra seja publicada até o fim deste ano pela Qualibest.

Para quem não pôde ir ao YOUPIX 2019 a plataforma do evento disponibiliza todo o conteúdo por streaming.

Para saber mais acesse o site: https://youpix.com.br/youpixsummit/ e veja como. O conteúdo estará disponível para acesso até dezembro de 2019.

Colaboração: Index Assessoria