No Festival Path deste ano (2017), foram apresentadas inúmeras palestras e    workshops na área da economia criativa como: audiovisual, música e arte. Além das palestras, exposições de startups e empresas variadas nos segmentos da educação, tecnologia, games, aplicativos e outros fizeram desses dois dias uma grande oportunidade para quem busca conhecimento e parcerias. Durante o primeiro dia (06/05), a parir das 9h quem passou pelo Instituto Tomie Ohtake conferiu de perto profissionais, especialistas, artistas e expositores inspirados em promover a seus visitantes uma verdadeira experiência de imersão e inspiração.

Paineis com viés em inovação social na educação se destacaram como: “Dados que transformam“, com a jornalista Danielle Brants, o especialista em gestão pública e inovação, Caio Werneck e o professor Alexandre Oliveira falaram de projetos que apostam na disponibilização e uso de dados não apenas como uma forma de tornar mais transparente o acesso à informação, mas também como uma via de transformação da sociedade. Durante a exposição, apresentaram como um aplicativo usado por alunos em salas de aula expuseram as dificuldades e habilidades de alunos dos alunos de educação básica da rede pública do país.

Na sequência da esquerda para direita: Danielle Brants Caio Werneck e Alexandre Oliveira. (Foto: Jaqueline de Oliveira)

Com a indagação: “O futuro e as pessoas: como as revoluções tecnológicas estão impactando novos comportamentos? o publicitário e cientista social, Gabriel Milanez e a publicitária, Laura Kroeff falaram sobre os avanços tecnológicos mapeados pela Singularity University na sociedade em rede. Expuseram como a tecnologia geram grandes transformações no comportamento humano e no futuro das pessoas como um todo. Ressaltando nesse novo contexto, como o mercado de consumo também é impactado, gerando novos desafios para produtos, serviços e marcas na sociedade contemporânea.

Gabriel Milanez (Foto: Jaqueline de Oliveira)

No segundo dia, 07/05  as palestras foram dedicadas ao audiovisual brasileiro e a temáticas relacionadas ao autoconhecimento e ao trabalho com propósito de vida como no caso da palestra: ‘Na onda da vida, qual o sei propósito?‘ do atleta, empreendedor, apresentador de TV, sea coach e consultor de empresas, Henrique Pistilli, conhecido também como “homem peixe”, já que surfa com seu próprio corpo. Pistilli, falou sobre a  conexão humana com a natureza e nosso papel no mundo, nos levando a uma reflexão sobre o que queremos para nossas vidas e como gerimos isso respeitando o ambiente em que vivemos.

Henrique Pistilli (Foto: Jaqueline de Oliveira)

No audiovisual, ‘Inovação e novos modelos de negócios para o audiovisual‘, com a documentarista, escritora e repórter, Alana oliveira,  a pedagoga e gerente de Conteúdo do Canal Futura, Débora Garcia, a produtora executiva, Desirée Portela e o empreendedor de economia criativa e sócio-diretor da mobCONTENT. A pauta desse encontro foi o mercado de produção independente e como o mercado nacional têm lidado com esse momento atual. Para ambos, há que se pensar no modelo de produção colaborativo e de baixo orçamento como uma saída estratégica para quem almeja o sucesso de sua produção participando de editais e pitchings de canais de TV como por exemplo, a TV Futura que investe em produções educativas e com viés mais cultural e humano.

Alana que participou de um desses editais deu algumas dicas a quem está começando como: correr atras daquele seu projeto, pedir ajuda aos amigos, elaborar teu projeto e plano de execução e participar de oficinas e treinamentos para profissionais inexperientes, como ocorreu com ela que participou de um curso de formação promovido pelo próprio canal Futura. Já a produtora, Desirée ressaltou as parcerias om outras produtoras o uso de colaborações para se alcançar seus objetivos. Com relação a inovação e uso de tenologia em produções audiovisuais, Marcos destacou o uso da transmídia e o uso de câmeras 360º que buscam fazer imagens  mais imersivas para o espectador. Ao final da conversa, todos ressaltaram a necessidade de se doar para seu projeto e tentar diferentes modos para conseguir produzi-lo e financiá-lo.

Marcos Ferreira, Alana Oliveira, Débora Garcia e Desrée Portela (Foto: Jaqueline de Oliveira)

Dando sequência ao assunto, a Ação Feminina representada pelas cineastas, Marina Person, Vera Egito e a apresentadora e mediadora da conversa, Roberta Estrela D´Alva foi debatida a disparidade entre homens e mulheres no mercado audiovisual brasileiro. Elas também expuseram suas próprias experiências  vividas pelo fato de serem mulheres diretoras ou roteiristas de obras de sucesso num mercado que é praticamente dominado por homens. Além do sexismo no mundo do cinema, foi debatida a questão racial e como o número de mulheres negras no mercado audiovisual nacional é ainda menor do que o de mulheres brancas. Todas ressaltaram a necessidade de ações afirmativas que fomentem a atuação feminina no mercado cinematográfico nacional, bem como a utilização de equipes predominantemente femininas em obras audiovisuais.

Marina Person, Vera Egito e Roberta Estrela D´Alva (Foto: Jaqueline de Oliveira)

Outro grande destaque do dia, foi a palestra do Sri Prem Baba, brasileiro, que desde cedo, dedicou-se ao Yoga e a técnicas de meditação e expansão da consciência. Estudou Psicologia e fundou o método psicoespiritual de autoconhecimento chamado Caminho do Coração.  Como líder humanitário e mestre espiritual, fundou o movimento global Awaken LOVE, que tem o propósito de restabelecer e elevar os valores humanos para despertar a consciência amorosa. Sri Prem Baba divide seu tempo principalmente entre o Brasil e a Índia, onde ministra cursos, oferece palestras e retiros. É autor dos livros: “Transformando o Sofrimento em Alegria”, “Amar e Ser Livre: A Base para Uma Nova Sociedade”, “Propósito – A Coragem de Ser Quem Somos” e “Flor do Dia”. O espaço onde ocorreu a palestra ficou lotado e muitas pessoas não conseguiram entrar tamanho o record de público de Sri Prem Baba que de forma tranquila e serena deixou um recadinho para os presentes sobre a coragem de ser quem somos “Se a vida é uma escola os relacionamentos são a universidade. É onde você aprende a superar, é quando você tem a chance de curar feridas ancestrais. E perceber se você repete padrões negativos. A cultura de união está na base. Nosso principal objetivo é aprender a nos relacionarmos sem gerar dor, sem se machucar e sem machucar o outro.” <3

Sri Prem Baba (Foto: Verônica Rocha Garcia)

A organização do Path e o próprio Sri Prem Baba fez um vídeo pós evento avisando aos seus seguidores que a palestra foi gravada e que em breve será disponibilizada na íntegra para aqueles que não puderam assisti-la. 🙂

Quer saber mais e ver como foi a participação da EraTransmidia no Path, dá uma olhadinha nesse vídeo do nosso canal no Youtube: bit.ly/2ETMnoPath